Domingo, 25 de Julho de 2010

Coração Amante...

 

 

 

Coração Amante... 
 Efigênia Coutinho


Por algum tempo tive um coração imperturbável
Entre céus, mares e luares  nada me comovia.
Ofertava sonhos de amor, não sendo vulnerável
A transvazar todo sentimento com galhardia...


Nova história, porém, renasce num novo verso.
Num formoso sonho extasiante, deixo-me renascer,
Um novo horizonte com luminárias sem reverso,
Vem  colorindo meu querer em cada anoitecer.


Cada momento contigo, é confortante e acaricia 
Deixando-me sentir o momento novo e inebriante...
Sentindo que meu coração cada vez mais se fortalecia
No pensamento enamorado que me traz todo instante!


Ao fascínio de querer ser teu Coração Amante...
E poder vicejar feliz este sonho assim amadurecido
Sendo accessível cruzar este oceano tão distante,
Vou sentindo esse renascer do meu ser fluido!...

 

Balneário Camboriú
Julho 2010

 

tags:
publicado por EfigeniaCoutinhoMallemont às 19:50
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Julho de 2010

Prescuto

 

 

 

PRESCUTO

Efigenia Coutinho


Tão prazeroso estar recostada!
Acompanho o efeito em passo certo,
Vejo o desfecho assim de perto...
Vou escutando, em vozes de fada.


A cantar melodiosa serenata
Com harmonia de Flores bela,
Embebendo de fragrâncias dela
Desliza,beijando a terra em festa!


Dessa mansidão vem meu encanto.
Vejo mil estrelas a cintilar...
Que se abraçam para escutar
A magia sonora do meu canto.


Debruçam mistério alvissareiro,
Num balouçar de sutil acalento,
Não resistindo o pensamento
Entregue ao destino sorrateiro!


Balneário Camboriú
Julho 2010

 

tags:
publicado por EfigeniaCoutinhoMallemont às 00:38
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 18 de Julho de 2010

HORA TRANSPARENTE

 

 

 

HORA TRANSPARENTE
Efigênia Coutinho

 

Transparentes céu,mar,terra e o ar,
nem os sonhos se mexem na alma,
nem desejos quentes. Nada turva
este aspirar bom das coisas calmas.

 

E vem vindo lá de cima canção do fundo
que nasce do cristalino de nós mesmos
e adeja  no ar sobre brumas celestes
embalando a alma, o corpo se soltando.

 

Tudo é paz na transparência desta hora;
o silencio que canta na voz dos anjos,
a Paz das distâncias azuis dentro de nós.
Modelando a face com argila para os sonhos.

 

Vem o calmo aroma - ocre das folhas de
outono.Longe vão a noite, o mar e o luar,
eternizando num único momento toda cor!
Paisagem que penetro, distraída, à espera!


Balneário Camboriú 23.10.2008

 

publicado por EfigeniaCoutinhoMallemont às 20:21
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 10 de Julho de 2010

Natureza - Prosa Poética

 

 

 

Natureza
Efigênia Coutinho

Quando entro numa floresta, ajoelho-me,
porque ela é a mais antiga das Igrejas,
aquela em que o primeiro homem ergueu ao céu
a sua primeira prece: saudação à Natureza!

Não há sacerdotes nesta Igreja, nem velas mo 
seu altar,nem fumos de incenso, que saiam dos
turíbulos de prata! Há uma multidão silenciosa,
que estende os braços robustos para o alto...

E, sobre aqueles braços, uma multidão de mãos, 
se abrem para implorar a vida ao sol,que tudo cria.
A natureza mais sábia, soube na Floresta preparar 
bálsamos diversos, para todos os males da alma.

Porque todas aquelas folhas verdes e sussurrantes 
ao vento, dizem a sua prece no murmúrio misterioso 
duma língua sem palavras, tudo reza: rezam as folhas,
e com elas os insetos da Terra nos ramos entre cortiças!

Eu me encontro como uma criança, num berço onde a 
vida germina e cresce, lenta, esperançosa, apontando 
a Natureza Futurecida! Nasce-se e morre-se a cada hora
a cada minuto naquele berço esmeraldino e fresco...

Brasil, Rio de Janeiro,30,10.2003

 

publicado por EfigeniaCoutinhoMallemont às 12:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Julho de 2010

FETICHE!...

 

FETICHE!...
Efigênia Coutinho
 
Feito sereia, a cantar, lhe espero,
Entre o marulhar do salgado mar,
Receber beijos de espuma eu quero
E como num fetiche poder amar!
 
 Ao majestoso oceano sendo alcunha,
Sentindo a bruma fresca ao luar,
Afagar seu corpo macio, como lã de vicunha
Num cerimonial de amor à nos enamorar!
 
E para o amor eu canto a nossa canção,
Para acalentar este sonho dourado.
Com cinzel de prata escrevo a emoção,
Fazendo versos sobre o chão molhado!
 
Ao raiar do dia, em meigo abraço,
Ainda sentindo o braseiro do amor,
Sob o céu azul, carinhos eu lhe faço...
Em tuas quimeras, saberás quem sou!
 
 
Balneário Camboriú
Julho 2010

 

tags:
publicado por EfigeniaCoutinhoMallemont às 04:29
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 10 seguidores

.pesquisar

.Julho 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ser Avó de Isabella Malle...

. ISABELLA MALLEMONT SUDO

. Marianne Mallemont

. Natal 2014 - Para meus Fi...

. Nascer...Viver...Partir

. PARABÉNS - Marianne Malle...

. Futura Avó - 2009 DE...

. Querida Netinha Isabella ...

. Amar é Caritativo

. MAMÃE - Marianne Mallemon...

.arquivos

. Julho 2016

. Agosto 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Agosto 2011

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds